Maniaca por Livros, Resenhas

[Resenha] O livro das princesas – Meg Cabot, Paula Pimenta, Lauren Kate e Patrícia Barboza

Olá, gatinhas e gatões!! Como vão?

Alguém estava com saudades das minhas resenhas escritas? Acho que nem sei escrever mais. :'( Mas enfim, vamos a nossa resenha…

O-livro-das-princesas

Comprar: Saraiva | Submarino

.

Como eu sou do contra, li primeiro O livro dos vilões e depois o das princesas. E… bem, acho que gostei mais dos vilões. E mais chocante ainda: meu conto favorito não foi da Meg. Chora para sempre! Mas deixemos isso de lado para falar de cada conto separadamente.

A modelo e o monstro (Meg Cabot):

Fui sedenta do conto da Meg, tanto por amá-la, quanto por ser o primeiro. Para ser bem sincera, eu comprei o livro por causa dela. E qual foi minha surpresa por terminar o conto um tanto quanto decepcionada.

Não que o conto não seja bom, acho que a Meg não conseguiria fazer algo ruim, mas achei ele BEM corrido. Seria um tópico ótimo para um livro, mas rápido demais para algo tão pequeno. Ela tenta explicar o romance e a afinidade, mas simplesmente não convence! Tudo acontece muito rápido e o povo passa de completo desconhecido para amor da vida um do outro. Tipo, WHAT??

No entanto, a pegada “aparência não importa” é muito boa. Ela trabalha com aquela coisa de que pessoas bonitas nem sempre são as mais certas e que “monstros” podem ser príncipes. Além de que, só porque a pessoa é bonita, não quer dizer que também não tenha um cérebro dentro da cabeça dela.

 

Princesa Pop (Paula Pimenta):

Sem sombra de dúvidas o melhor conto do livro! Paula Pimenta trabalhou muito bem nesse conto. Leve, fofo e pesado, bem escrito e estruturado. Início, meio e fim. O romance convence horrores. E ainda me fez lembrar do livro Princesa Adormecida onde nossa Princesa Pop aparece. Fiquei até com vontade de comprar o livro todo para saber o “depois do final feliz” da Cinderela.

AMEI a mãe e a tia badass da Cintia. Gostei dela ser “diferentona”, uma princesa bem durona. Tive MUITA vontade de dar na cara do pai dela por ser um babaca idiota e tapado que não vê o obvio das coisas. Sério, só de pensar que existem tantos homens pamonhas como ele, tenho até urticária.

Gostei da adaptação do conto de fadas e gostei de como foi trabalhado o fato de que pessoas famosas também têm um coração. Muitas pessoas enxergam a fama, beleza e dinheiro, mas nunca a alma. Paula Pimenta mostra que essa alma existe e quer ser vista.

Eclipse do unicórnio (Lauren Kate):

Fiquei bem “WHAT?” com esse conto. Ele começou bem legal e tal com o garoto bom que foi abandonado pela namorada idiota e que não queria ir para Paris sozinho em um passeio de escola. Aí já somos transportados para um reino antigo que acabou de ter sua herdeira. Preciso nem dizer que fiquei perdida e me perguntando como isso tudo ia ser ligado. Continuei lendo até tudo ameaçar fazer sentido.

Só que…. bem, não fez. Pareceu igualmente forçado. Muito “vou dar uma mudada aqui na lenda e colocar ela pra dormir mais tempo e ok, está ótimo”. Só que não ficou ótimo. Mal ficou bom. Enfim, não gostei. E não aprendi nada com o conto.

 

Do alto da torre (Patrícia Barboza):

Esse foi um conto bom que nos ensinou alguma coisa. Uma adaptação bem legal da Rapunzel dos tempos modernos. Nunca tinha lido nada da Patrícia e gostei bastante, acho que posso me aventurar nos livros dela que são até bem conhecidos (Série As Mais).

Aprendemos que as aparências enganam – aquele cara lindão com sorriso perfeito pode ser o maior mentiroso do mundo – e que as melhores coisas, na maioria das vezes, estão bem na nossa frente e nunca vemos.

E teve um momento que eu gostei bastante – dois, na verdade – quando a madrinha da nossa Rapunzel a repreende por fazer o que ela gosta e a desencoraja; e depois, quando percebe que ela pode incentivá-la e que o que ela gosta é o que a define. Sério, esse é um ponto que sempre admiro em todos os livros que leio, porque eu simplesmente não consigo entender porque alguns pais não podem simplesmente apoiar os filhos no que eles gostam. Preferem apenas vê-los infelizes.

Enfim, não é o melhor livro de contos que li, acho que poderia ter sido melhor, mas é bom e uma leitura rápida (li em uma tarde), além de ensinar várias coisas legais.

Se sair outro livro da coleção irei comprar certamente.

Beijos!

Laury

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *