Maniaca por Livros, Resenhas

[Resenha] Mil pedaços de você – Claudia Gray

Sabe quando você se depara com aquela autora que você estava louca para conhecer e nunca teve a chance? Essa é a situação. Eu conheci a Claudia em uma antologia que ela participou. Fiquei bem interessada pelo seu trabalho, mas nunca tive acesso a ele por seus livros serem um pouquinho difíceis de ser encontrado. Até que a gatíssima da Agir Now com seus livros MARAVILHOSOS me enviou um exemplar. E eu estava certíssima de querer conhecer melhor essa mulher com uma cabeça louquíssima.

mil pedaços

Mil pedaços de você: Americanas | Submarino | Saraiva | FNAC | Cultura

Dez mil céus sobre vocêAmericanas | Submarino | Saraiva | FNAC | Cultura

Mas vamos nos concentrar em Mil pedaços de você (magnificamente traduzido para o português). O livro conta a vida de Meg (Marguerite, Margarita…) que tem dois pais cientistas que trabalham em uma teoria onde o universo seria dividido em dimensões infinitas. E o mais legal é que se poderia viajar entre essas dimensões. Aí você me pergunta como seriam essas dimensões. A coisa é bem simples. Imagine você em um sábado a noite, se debatendo sobre sair ou não. Pois bem, nesse momento sua dimensão se dividiria, onde em uma você iria sair e na outra não. Ou seja, cada decisão gera uma dimensão. Infinitamente.

Bem legal, certo? Sim, até o momento que o pai de Meg morre e um dos ajudantes de pesquisa (Paul) é acusado de mata-lo. Só que esse ajudante de pesquisa é mais que um mero ajudante, na casa de Meg os ajudantes de pesquisa são parte da família. Ou seja, eles ficam duplamente de luto, pela morte e pela traição. E quanto Paul foge para outra dimensão para escapar das acusações, Meg quer vingança. Sem pensar duas vezes, ela e o outro ajudante (Theo) partem rumo ao desconhecido com a intenção de matar Paul.

Nesse momento a coisa toda fica uma loucura. A autora, majestosamente, nos faz viajar por diversos universos. Alguns mais tecnológicos que o nosso, outros menos, mas todos incrivelmente bem construídos. E o legal de viajarmos assim é ver como o mundo pode mudar completamente apenas por uma decisão, um acontecimento. E se os computadores tivessem sido inventados mais cedo? E se aparecessem mais tarde? Mas o mais legal de tudo é ver quem a Meg é em cada dimensão. Como claramente podemos perceber que somos apenas o resultado de nossas decisões. Podemos ser essencialmente iguais em qualquer lugar, mas são nossas decisões que nos tornam únicos.

O livro foi perfeitamente construído e amarrado (e olha que eu sou a louca dos furos – sempre acho um) em uma mistura maravilhosa de tudo que um livro deve ter e um pouco mais. Nós temos tecnologia, temos romance, temos guerra, temos família real, aventura, drama… Tantas coisas infinitamente. E o fato da autora ter a liberdade de mudar seu cenário a qualquer momento torna isso tudo mágico. Isso sem falar no mistério e no suspense.

Claudia faz uma construção que nos faz olhar nas estrelinhas e surtar de desespero. E com esse livro eu tive certeza: eu sei ler as pessoas. Até mesmo quando elas são retratadas sob a perspectiva de outra. Talvez seja um spoiler (talvez não, considerando que bom entendedor percebe isso na contra capa), mas foi perfeito o fato de o vilão ficar escondido por boa parte do livro. Porque cara… Cara! Não tem como o Paul ser um vilão. Fica cristalino desde a primeira página. Um cara como ele não tem vocação para ser vilão! Ele é maravilhoso de mais.

E com isso deixo aqui claro que eu amo esse cara. Além de ser maravilhoso, tímido, inteligente, super protetor e muito gostosinho, Paul é RUSSO! RUSSO! Deus sabe como eu amo um Russo (Dimitri – VA – surgiu para provar essa teoria e Paul veio para arrematar). E esse Russo me fez chorar e suspirar pra caramba. Ou seja, você percebe como a autora é boa quando ela consegue enfiar um romance FODA no meio de toda essa confusão.

mil pedaços

Eu amei o livro, eu quis roubar o Paul para mim, adorei a família louca e perfeita da Meg e sim, eu adorei a Meg. Ela é aquela personagem toda real, que tem momentos de fraqueza, de força, de dor e de amor. Eu definitivamente seria amiguinha dela. Já o Theo… Eu não fui muito fã dele, em nenhuma dimensão (Fazer o que, é a vida, né?!).

Preciso nem dizer que suuuper recomendo o livro, porque eu suuuuper recomendo o livro! Mesmo que para a minha completa decepção ele seja o primeiro de uma série (eu vivo tentando fugir das séries e acabo sempre caindo nelas). E o único adendo que gostaria de fazer é: se eu caísse em outra dimensão, onde eu além de morar na Rússia, fosse da realeza, eu, em hipótese alguma, sairia dela. Nem com tortura. Nem com ameaça. De jeito nenhum. Pensa só no tanto de Russo que não teria lá, afinal, é a Rússia! <3

Ou seja, leia. E leia de novo. E se apaixone por tudo isso tanto quanto eu. E respire fundo porque tem mais livro vindo por aí:

trilogia

Mil pedaços de você (1): Americanas | Submarino | Saraiva | FNAC | Cultura |

Dez mil céus sobre você (2)Americanas | Submarino | Saraiva | FNAC | Cultura |

Beijos!

Laury

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *