Maniaca por Livros, Resenhas

[Resenha] Pode beijar a noiva – Patrícia Cabot (Meg Cabot)

Meu Deus, que saudaaaaaaaaaaaaaaaaade que eu estava dessa mulher!! Sério, eu fico impressionada como eu consigo sempre esquecer como Meg “Patricia” Cabot é maravilhosa. Ela escreve sobre tudo e escreve bem. Pode beijar a noiva foi o primeiro histórico que eu li dela e fiquei loucamente apaixonada.

Para minha total felicidade, esse ano o blog é parceiro da Planeta e ela está relançando alguns livros da Meg como Patrícia. Ou seja, pedi esses livrinhos para mim. Mal Pode beijar a noiva chegou, eu comecei a ler. E li em um dia. Uma história fofa, leve e lindinha, assim como a capa sugere. Então vamos falar sobre esse livro divo.

Pode beijar a noiva conta a história da Emma (retardada) Van Court. Ela perdeu os pais muito cedo e foi morar com os tios. Sua tia era melhor amiga da Condessa de Denham, o que faz com que as famílias sejam criadas bem próximas. Essa proximidade faz com que Emma acabe se apaixonando por Stuart, primo do Conde, e diga-se de passagem, o homem errado da família.

Stuart tem uma alma muita caridosa (caridosa de mais) e tem a intenção de se tornar um cura (uma espécie de padre) e se casar com Emma. Só que, por ter toda essa alma caridosa, Stuart não tem NENHUM dinheiro e recebe mesada de seu primo Conde. Nisso você já tem uma ideia de como é o “amor da vida de Emma”, né? Pois bem, como Emma é uma garota da alta sociedade, seus tios não apoiam de jeito nenhum esse casamento louco, principalmente porque o casal quer ir morar na Escócia (na época um fim de mundo). O que acontece? Eles fogem.

Tudo bem romântico, certo? Errado. Para começar, eu nunca gostei de Stuart. Não gosto dessas pessoas que acham que são enviados de Deus e que elas são boas de mais para as outras pessoas, que ninguém nunca será tão puro e bondoso e certo como ele. Stuart me dava raiva. E só Emma não percebia o quanto ele era desnecessário. Junte isso ao fato dele não querer sequer encostar em sua mulher (demonstrações de afeto) e achar que eles não poderiam ter nenhum conforto, porque isso seria uma afronta a Deus.

Stuart era ridículo e é obvio que o casamento não daria certo. Todo mundo percebia isso, menos Emma. E quem percebia claramente isso era James, que ao tentar avisá-la que ela estava sendo inocente de mais, ganhou o ódio da garota.

Mas vale aquele velho ditado de que o tempo se encarrega de tudo. Não demorou para Emma perceber seu erro e levou apenas seis meses para seu marido morrer (por ser um completo idiota). Com isso Emma deveria voltar para a Inglaterra e ser feliz lá, mas ela como a boa lerdeza que era, resolveu ficar na cidadezinha por dezenas de razões que só faziam sentido na sua cabeça.

Bem, fiz um resumo enorme, mas não consegui fazer diferente, porque a trama é cheia de detalhezinhos essenciais para que ela faça sentido. É esse início que mostra a personalidade de cada um e como eles crescem. Pois veja bem, é ficar longe da família e de todo o conforto que faz Emma se tornar uma pessoa mais madura e ficar longe dela que faz James ficar um pouco mais agradável (não que em qualquer momento eu tenha achado ele menos maravilhoso do que é).

Pode beijar a noiva é um livro bem rapidinho apesar de não ser tão curto em páginas. Ele trabalha super bem a trama e os personagens, naquele estilo que as pessoas fazem exatamente as coisas que se esperam delas, mesmo que as vezes as decisões não façam sentido na nossa própria mente. Porque o fato é: nem metade das decisões de Emma fazia sentido para mim, mas eu sabia que era totalmente condizente com a personalidade dela. E assim por diante.

Foi o livro de época super bem enquadrado, com todas aquelas bombas e “escândalos”. Uma parte bem legal foi que Meg/Patrícia conseguiu construir uma personagem mulher que ao mesmo tempo que era perfeita para a época ainda tinha seus lados revolucionários sem ser de fato revolucionária. Muito complicado isso que expliquei, mas faz total sentido no livro, juro. Hahaha

Teve também, claro, o moço maravilhoso e digno do coração de qualquer pessoa: Conde James. Peço um minutinho de silencio para suspirarmos por ele. Sabe aquele cara que você não consegue encontrar defeito? Esse é James. A única pessoa que consegue achar MIL defeitos nele é Emma. James é o cara para quem você pode correr quando algo dar errado, ele enxuga suas lágrimas e mais que diz que vai ficar tudo bem, ele faz ficar bem. James é uma pessoa trabalhadora, mesmo sendo Conde e não precisando de mais nenhum centavo em sua vida. Ele é um cavalheiro, daqueles dos bons, cheios de princípios e com um ÓTIMO gancho de direita. E mesmo não sendo seu “esporte” favorito, ele sempre acaba por ajudar os mais necessitados. Mas não preciso nem dizer que Emma discorda de tudo isso e o acha insensível e mesquinho, né?

Deixemos a burrice dela de lado. Gostei da forma como a autora retratou as relações da época, como muita coisa rodava em torno do dinheiro e do sangue. Foi bem realista. Teve até os famosos bailes de temporada, onde as garotas se apresentavam e dançavam e se exibiam com o intuito de chamar atenção dos homens para serem cortejadas e consequentemente arrumarem um marido. Tudo muito louco.

E claro, não podia deixar de ter umas ceninhas hot, não é mesmo? Eu fico tão emocionada quando um livro tem a medida certa de cenas calientes. Nada de livro que gire em torno de sexo ou que tenha cenas aleatórias só pra falar “olha, meu livro é erótico”. A Meg colocou a quantidade exata de cenas quentes e as descreveu com tamanha maestria que só por elas o livro já merece ser lido. Por ai você já tem uma noção de como foi a coisa. Sinceramente, é o tipo de livro que quem pretende escrever cenas de sexo românticas deve ler. E esse detalhe me fez ficar curiosíssima para saber se os outros livros de época dela também têm essa particularidade digna.

Bem, é Meg sendo Patrícia sem perder a mão. É muito lindo e fofo e bem escrito. Se você gosta de romances, com certeza vai adorar esse livro. Se gosta de romance de época então… Tá esperando o que? Já é o momento de você correr na livraria e comprar esse livro divo com uma capa mais diva ainda (e bem melhor que a anterior). <3

Beijos!

Laury

48 Comments

  1. Oi, eu li esse livro recentemente e adorei. Sou suspeita para falar pois adoro ler quando a Meg escreve como Patricia Cabot. Sem contar que esse gênero (Romance histórico) acabou se tornando um dos meus favoritos. Também achei o romance muito fofo e estou indicando para todas as minhas amigas que também gostam de algo relacionado. E é como você mesma disse, é tudo na medida certa, até as cenas mais hots hehe
    Beijos, Fer

    Reply
    1. Laury Alves Author

      Somos suspeitas nada, somos apenas conhecedoras de uma escrita maravilhosa. hahaha Romance histórico realmente é um gênero puro amorzinho. Estou fazendo igual você, indicando para todo mundo. E não é? Ainda mais nesse momento que o povo anda exagerando tanto nas cenas hot, eu fico encantada quando a autora ou autor consegue fazer tudo na medida certa, sem exagero ou sem fundamento. Ela me conquistou muito por essa parte.
      Beijoos!!

      Reply
  2. Oiie tudo bem?

    Acredita que nunca li nenhum livro da Patrícia/Meg Cabot? Mas sempre vejo super elogios pela escrita dela, e morro de vontade de poder ler alguma obra dela. Adore esse livro, como você disse é um livro para se ler um dia. Gosto muito de livros históricos, que tenham romance, e que a mocinha não seria tão mocinha assim rs e claro também as cenas hots, mas com medida. Espero poder ler o mais breve possível.

    Bjs

    Reply
  3. Oie, nunca li nada da Meg ou Patricia Cabot e com certeza não foi por falta de elogios e indicações. Amo romances, mas li pouquissimos de época, então acho que vou voltar a este estilo por esse livo aqui, porque a sua empolgação na resenha me contagiou. Adorei a dica e está mais que anotada.
    Beijos

    Reply
  4. Olha, fiquei surpresa com seu post, eu não sabia que a Meg era a Patricia Cabot!!!!!!! Eu sempre imaginei que fosse a irmã dela, ou algo assim, haha. Eu amo os livros dela, inclusive já ouvi falar desse e morro de vontade de ler, ainda mais sabendo que não é um romance bobinho e tem cenas hot. Assim que tiver a oportunidade de ler, irei!

    Virando Amor

    Reply
    1. Laury Alves Author

      Sériooo????? kkkkkk Pois são a mesminha pessoa!! Elas incrivelmente escrevem um pouco diferente, mas ainda maravilhosamente bem. Ela usa/usava o nome Patricia para os romances históricos porque não queria que a avó lesse ou soubesse que era ela (por causa das cenas hot e tal kkk).

      Reply
  5. Oi, tudo bem?
    Nunca li nada da Meg Cabot, mas tenho muita curiosidade de conhecer a escrita da autora.
    Adoro romances de época ou históricos e tenho visto que a editora Planeta tem relançado alguns livros da “Patricia” Cabot e já vi algumas resenhas que me deixaram bem curiosas para essa leitura.
    Adorei a sua resenha, a paixão com que você falou do livro me deixou ainda mais motivada a realizar logo essa leitura.
    Adorei a premissa dessa história e por isso espero ter oportunidade de ler em breve.

    Beijos :*
    http://www.livrosesonhos.com/

    Reply
    1. Laury Alves Author

      Você nunca leu nada da Meg Cabot?? Menina de Deus, pode começar a tirar o atraso! Vale muito a pena!! Mas, por favor, não comece pelo Diário da Princesa. Sei que é o mais conhecido dela, mas não é o melhor. Se você gosta de romance de época, comece pelos da Patricia mesmo, porque ai ela vai te conquistar e você vai segui-la para o resto da vida, tipo eu. kkkkkk Se você também gostar de sobrenatural, A Mediadora é uma ÓTIMA pedida também. Depois dai é só seguir em frente, opção é que não vai faltar, em todos os gêneros possíveis. Meg é puro amor, impossível não amar! Fico feliz que minha resenha tenha te motivado a ler. o
      Beijos!!
      Laury

      Reply
  6. Laury, já te adianto que sim, os livros da Meg como Patrícia tem essas cenas sexys sem pesar na mão. Essa mulé é muito foda e eu tenho vontade de ler tudo que ela escreve! Até a lista de super mercado. Eu li Jardim de Inverno (o único que li dela com pseudônimo e também é da Planeta, então aproveite!) e também é nesse jeitinho. Mas cá entre nós, meus olhinhos brilharam quando você mencionou que o marido otário da protagonista queria viver na Escócia, porque agora eu to num momento “AH, MEU DEUS, EU AMO A ESCÓCIA” por causa dos livros Outlander, já leu?! Se não, aposto que você vai amar (não se deixe afetar pelo tamanho das páginas porque elas passam VOANDO). Se sim, aposto como você já amou :0)

    Beijinhos,
    http://www.ummetroemeiodelivros.com

    Reply
    1. Laury Alves Author

      Sério que todos são assim? o Eu já li o Aprendendo a seduzir também e amei as cenas hot. E definitivamente essa mulher é foda, eu SUPER entendo seu sentimento, porque a Meg é minha escritora favorita e também quero a lista de mercado dela, porque vamos combinar, deve ter alguma coisa muito legal nessa lista para ela ser maravilhosa assim. Sou louca para ler todos os de época dela e eu definitivamente vou aproveitar essa parceria com a Planeta. Torcendo para eles lançarem capas novas para todos, vou ler com o maior prazer do mundoo!! To igual você, querendo ler todos os livros dela. É meta da vida.
      A Escócia é amor! <3 Morro de vontade de dar um pulinho lá, só falta o dinheiro. hahaha Nunca li Outlander, mas já vi muita gente falando a respeito. Compensa mesmo? o Vou por na minha lista (infinita) de desejados lá no skoob. Indicação de quem ama Meg tanto quanto eu, é indicação que não pode ser deixada de lado!

      Beijos!!
      Laury

      Reply
  7. Oi, tudo bem?
    Nossa, você realmente amou o livro. Eu li e também amei, apesar de ter ficado confusa com algumas decisões da protagonista, assim como você, mas foi uma leitura que valeu muito a pena, ainda mais por eu amar romances de época. Ótima resenha.

    Reply
  8. Oie! Eu estou com uma curiosidade grande emcima desse livro e espero que possa lê-lo logo. Não conheço a Meg como Patrícia Cabot, digo nunca li nada que ela escreveu como Patrícia. Acho que assim como você se irritou, emma e Stuart também me irritariam, ainda bem que eles ficam pouco tempo juntos e que ela abra os olhos logo para o conde James, ee. Adoro os famosos bailes onde as meninas se apresentavam, tenho um fraquinho por esses livros. Gostei da sua resenha e ela me deixou ainda mais curiosa para saber o fim de Emma e se ela abrirá seus olhos para o que a espera.

    Reply
  9. Eu amo romances de época e estou louca para ler esse. Adoro esses escândalos que na época são catastróficos mas que se acontecesse hoje em dia seriam vistos como banalidade. Gostei bastante de ver suas impressões sobre o livro e fiquei muito mais curiosa com ele

    Reply
  10. O que dizer sobre essa resenha que me deixou super curiosa para ler o livro? Simplesmente adorável a maneira na qual você descreveu o livro, e deixou as pessoas curiosas para ler. Eu amo romances de época, são simplesmente deliciosos de se ler.
    Beijão gata o/

    Reply
  11. Oi, confesso que nunca li nada dela e só vejo elogios sobre os livros dela. Gostei da premissa desse e fiquei bem curiosa depois de ler a sua resenha e a paixão que você passou ter por essa autora e por sua escrita. Amei a resenha.
    bjus

    Reply
  12. Oie!
    Eu ainda não li esse livro da Patricia Cabot, e preciso comprar essa edição que está linda. Gostei de saber que é uma história rápida e envolvente, e pelo jeito vou ficar com raiva de um personagem, rsrsrs. Gostei bastante dessa história!
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    Reply
  13. Olá! Já havia lido uma resenha dessa obra e, a princípio, me interessei, sem contar que essa capa também me chamou a atenção. Porém seus comentários sobre a personagem tiraram qualquer vontade que eu tinha de conhecer a escrita de Meg como Patricia. Tenho muita vontade de me aprofundar nos romances de época, mas com certeza não começaria por Pode Beijar a Noiva. Esse jeitinho chato e “cabeça dura” de Emma provavelmente faria eu desistir da leitura muito facilmente e nem o tal James salvaria. Talvez um dia eu mude de opinião e resolva dar uma chance, mas por enquanto vou manter distância. Fico feliz em saber que a leitura lhe agradou. ^^

    Reply
  14. Olá!

    Ai o que falar da Meg né? Eu amo os livros dela! Gostaria de ler mais livros dela como Patricia, mas ate o momento eu so li Aprendendo a Seduzir. Adoro essa linha que ela escreve como Patricia, romance de época e sempre com a dose certa de HOT sem parecer apelativo e fazendo tudo parecer muito natural. Quero muito conhecer está estoria. Quem sabe ela não seja meu próximo livro se Patricia Cabot hein?

    Beijinhos!
    Cantinho Cult

    Reply
  15. Quando o assunto é Meg Cabot, fico empolgadíssima.
    Tenho o box A Mediadora, e alguns chick-lit dela. E acho ela incrível também! Não conhecia esse livro, quem sabe eu mergulhe nessa aventura logo, logo.
    Bjocas
    Ni
    Cia do Leitor

    Reply
  16. Ai eu adoro um romance de época, apesar de ler com pouca frequência livros do gênero, sou fã de fantasia épica/medieval e ficção científica, por isso considero esses romances o meu guilty pleasure das tardes chuvosas e de domingo rsrs… Da Meg, além de A Mediadora, li Proposta Inconveniente, adorei por ser leve e te fazer suspirar no momento certo. Fiquei super curiosa para ler Pode Beijar a Noiva, tenho certeza de que irei adorar.

    Reply
  17. Eu nunca li nada da Meg ( Patrícia), mas a cada resenha que leio de seus livros, sinto mais vontade/curiosidade.
    Ainda não conhecia esse livro, e com certeza irei anotá-lo na wishlist
    Beijos

    blog-myselfhere.blogspot.com.br

    Reply
  18. Olá, ainda não li nada da autora, mas vou começar ‘Aprendendo a Seduzir’ esse mês e espero me surpreender com a escrita de Cabot.

    Esse livro parece ser muito bom, adorei a resenha!
    Abraços

    Reply
    1. Laury Alves Author

      Sério?? Ó, então acabei de te ensinar alguma coisa, mesmo romance de época não sendo a sua praia :'( hahaha
      Quem sabe os livros da Cabot como Meg lhe agradem mais, porque não tem nenhum de época

      Reply
  19. A Meg tem uma escrita bacana, né? Eu já li dois dela, e apesar de não ser meu estilo, curti bastante, pq realmente ela fisga os leitores mais insuportáveis (no caso, eu) e a gente só para quando acaba o livro e por dias fica com o enredo na cabeça. É como se a gente vivenciasse aquilo.

    Reply
    1. Laury Alves Author

      A escrita dela é maravilhosa, levinha e tranquila, tira todo mundo de ressaca literária e é bem difícil não agradar (eu particularmente só não sou fã do Diário da Princesa). Ela realmente nos transporta!

      Reply

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *