Maniaca por Livros, Resenhas

[Resenha] Sob a redoma – Stephen King por José Ricardo

Olá, amados!

Hoje eu vim trazer uma resenha para vocês um pouco diferente das que vocês encontram por aqui. Mas olha só a novidade em dobro: ela não foi escrita por mim e nem pelos atuais colaboradores do blog. A resenha a seguir é de um amigo meu que também adora ler, só que tem um estilo um pouco diferente do meu e está na missão de me levar um pouco para dentro do gosto literário dele. E eu estou igualmente na missão de trazê-lo um pouco para dentro do blog. Essa eu espero que seja a primeira de muitas participações dele.

Então leiam e apreciem a resenha do José Ricardo! 😉

div

Minha amiga de uma década, dona deste blog se vê sempre ocupada lendo vários livros de vários autores, de vários países e por isso, nunca consegue ler o meu autor preferido. Então, um dia eu virei pra ela e falei: “Eu vou terminar essa Bíblia que eu to lendo e vou fazer uma resenha pra você, pra te convencer que se é foda!”. Dito e feito. Eu terminei o calhamaço de mais de 950 páginas e aqui estou!

Todos devem estar se perguntando quem seria esse autor, ou talvez nem todos. Mas ele é, ninguém mais, ninguém menos que o mestre do horror: Stephen King.

Esse título de “mestre do horror” na minha opinião não faz jus à vasta diversidade de livros que a imaginação dele produz. Algumas cenas são sempre sangrentas, muito bem descritas e desta forma, muito facilmente imaginaras e acho que por isso muitos pensam que ele só escreve literatura de terror. Mas não é bem assim.

Agora em questão ao livro que eu li: Sob a Redoma. É importante dizer que independente do quanto você já tenha lido na sua vida, um livro deste tamanho assusta sim. E muito! Mas cada página passa tão rápido e ele se desenvolve tão bem, que realmente é muito difícil de largar.

A história é que, em um dia comum cai sobre uma pequena cidade do Maine uma redoma impenetrável que isola Chester’s Mill de todo o resto do mundo. E o interessante é que a história não é sobre como a redoma foi parar lá (apesar de explicarem isto claro), mas sim, de como a cidade vai reagir a tal acontecimento. Tendo uma vasta leva de personagens, Stephen King consegue de forma magistral narrar a história do ponto de vista de cada um deles, o que deixa você sempre sedento por mais.

Nós não temos um personagem principal, mas uma leva deles, apesar de o vilão ser um só. O que torna esse personagem o vilão é a busca sedenta por poder, o que sobe totalmente a sua cabeça e faz com que ele perca os filtros da sanidade mental e passe por cima de qualquer um para tomar a cidade para si. Desse jeito, ele faz com que uma parte da cidade se rebele contra ele e isso vai sendo levado pela história. E eu acho que agora, quem se interessou e quer saber mais, vai ter que ler. Já adianto que vai valer a pena!

Uma vez, eu vi uma leitora também ávida do mesmo autor falar que ele tem uma característica muito interessante. Ele tem a “escrita de laçada” que é aquela história que você tá lendo e quando acaba o capítulo, você vê que aconteceu alguma coisa muito foda e que você vai ter que continuar. É isso que torna o livro tão fácil de ler apesar do seu assustador tamanho.

Quando eu comecei a ler Sob a Redoma eu falei a mim mesmo que deveria ir com calma, porque todo livro muito grande tende a ter muita informação importante que não podemos deixar passar. Mas apesar da informação importante estar lá em todos os instantes, você não se esquece dela, porque ela se firma na sua mente, e você definitivamente não consegue ir devagar.

Às vezes quem já tenha lido Stephen King vai entender o que estou dizendo, mas quem não leu, está mais que convidado a entrar neste mundo que ele cria e que te envolve de uma maneira tão grande que é como se você se tornasse um personagem da história.

Sob a Redoma merece um dez, com certeza, e um lugar de destaque na minha estante. E se você está pensando que já viu tudo porque assistiu alguns episódios que o livro originou, é aí que você está enganado. Você não viu nada, porque a história muda completamente, e só lembrando, que são raras as vezes em que a versão televisionada é tão boa quanto a escrita.

A próxima leitura já está escolhida, é do mesmo autor, porém, vão ter que esperar a próxima resenha pra descobrir qual dos livros dele é. E olha que são muitas as opções!!!

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *