Resenhas

[Resenha] Nelson Rodrigues na TV: As Melhores Histórias de “A Vida como ela é…” adaptadas para a TV

Resenha 2

Olá, seus bonitos! Como vão?

Hoje eu vim trazer a resenha de um livro que me deixou apaixonada do início ao fim. E sobre o qual eu tenho apenas uma coisa a dizer: Nelson Rodrigues é o cara!

nelson rodrigues

“Maior dramaturgo brasileiro de todos os tempos, pornográfico, polêmico, reacionário, provocador…”. Como todo grande artista ele teve coragem, ousadia, originalidade, amor e principalmente humor.

Acho que todo mundo já ouviu falar dele. Eu já tinha ouvido, mas nunca tinha lido ou visto nada produzido por ele. Então eu recebi esse livro. Foi amor a primeira vista, porque, sinceramente, esse foi um livro pensado e produzido do inicio ao fim, em todos os aspectos. Para começar é um livro pequeno e quadradinho. Sabe aquelas televisões antigas e super fofas? Exatamente nesse formato.

E depois de superar o formato (se é que é possível superar tanta perfeição), nós chegamos a diagramação. Céus, quem viu meu vídeo com os livros recebidos sabe bem do que eu estou falando. Temos televisões pequeninas desenhadas em todo fim de crônica e claquetes em todas as páginas. Página amarelada, ótimo tamanho de letra e espaçamento adequado. É um livro para definitivamente não se colocar defeito.

Ou seja, amei a aparência do livro, o que me fez imediatamente começar a leitura. E o fato de ser composto por crônicas fez com que eu lesse bem picado. Um dia lia uma coisa, outro dia lia outra… Até finalmente terminar. E quando eu terminei, fiquei chocada com a inteligência excepcional de Nelson Rodrigues. Ele é o tipo de pessoa, que de tão inteligente, consegue “diminuir” a sua escrita ao nível banal e cotidiano. E mesmo com a escrita nesse nível, ele ainda consegue ser único e ter uma sacada fora do normal. Como eu disse no vídeo: “Nelson Rodrigues saca da vida”. E também saca de escrita. E de pessoas.

Meus diálogos são realmente pobres. Só eu sei o trabalho que me dá empobrecê-los.

Seria impossível falar de todas as crônicas do livro, porque são várias, mas duas realmente chamaram minha atenção: Divina Comédia e Casal de Três.

Divina Comédia fala de casamento e de como as coisas podem esfriar com o passar do tempo. De como toda aquela paixão de inicio de relacionamento pode desaparecer depois do tão esperado “sim”. E nessa crônica, o nosso casal já perdeu o fogo e tudo que ainda conservam é a rotina. Tanto é que o marido quer pedir o divorcio e a esposa não se importa muito com isso, sua maior preocupação é com o que os outros vão pensar sobre ela.

E é nessa de “o que os vizinhos vão pensar” que a mulher começa a reparar na vizinha que sempre se despede do marido com muitos beijos melosos. E ela, claro, não quer ficar atrás da vizinha, por isso passa a fazer o mesmo com o marido. Quando ele está saindo do trabalho, ela o beija de forma melosa. Quando vão para o cinema, eles faziam o papel de casal feliz. Bastava colocar o pé para fora que fingiam ser o melhor casal do mundo. E quando voltavam para as quatro paredes, nada de carinho. Só que de tanto fingimento, de tanto fingir ser um casal apaixonado, eis que… Não é que talvez eles tenham se apaixonado?!

É uma crônica bem simples e boba, mas que no entanto, nos faz pensar no tanto que isso é verdade. Muitas pessoas falam que o casamento faz com que o relacionamento esfrie. É o carma do casamento. Mas o quanto disso não é culpa do casal? O quanto tudo não podia ser resolvido com pequenos hábitos?

Uma vez li um artigo que dizia que todo habito é criado a partir de uma ação repetida por seis vezes seguidas em dias consecutivos. E que pequenos hábitos tornam um relacionamento mais saudável. E eu acredito muito nisso. Acredito que hábitos pequenos e simples fazem a diferença. “Bom dia”, “Boa tarde”, “Boa noite”, “Tudo bem?”, “Como foi seu dia?”, “Obrigada”, “Adoro quando faz isso”, “Eu te amo”. Poucas palavras que fazem toda a diferença quando ditas com sinceridade.

Já em Casal de Três a coisa é um pouco mais complexa, mas também falamos sobre amor e o quanto o amor não é feito através de uma formula especifica. Que não importa o que falem ou como as pessoas veem o relacionamento do lado de fora, justamente porque elas estão de fora. O que realmente importa é quem está no relacionamento e o que os faz feliz. Não importa o quão “questionável” isso seja.

Bem, eu adorei esse livro e a forma como ele fala sobre a vida e as pessoas. Realmente Nelson Rodrigues escreve a vida como ela é. Sem papas na língua, sem medo, sem ressentimento. Ele apenas escreve e traduz a realidade.

Leiam Nelson Rodrigues e aprendam com ele como a vida é de verdade.

Beijos!

Laury

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *