Lançamentos, Resenhas

[Primeira impressões] Dez coisas que aprendi sobre o amor

Lançamentos2

Olá!! Tudo bem com vocês?

Hoje eu vim fazer um trabalho duplo: eu vim apresentar esse lançamento lindo e contar minhas primeiras impressões sobre ele. A Novo Conceito liberou as primeiras páginas com exclusividade para os seus parceiros e eu, obviamente, fui dar uma espiada nesse futuro lançamento. Vamos espiar comigo?

divisão

Dez coisas que aprendi sobre o amor

Por quase 30 anos, quando a brisa de Londres torna-se mais quente, Daniel caminha pelas margens do Tâmisa e senta-se em um banco. Entre as mãos, tem uma folha de papel e um envelope em que escreve apenas um nome, sempre o mesmo. Ele lista também algumas coisas: os desejos e o que gostaria de falar para sua filha, que ele nunca conheceu. Alice tem 30 anos e sente-se mais feliz longe de casa, sob um céu estrelado, rodeada pela imensidão do horizonte, em vez de segura entre quatro paredes. Londres está cheia de memórias de sua mãe que se fora muito cedo, deixando-a com uma família que ela não parece fazer parte. Agora, Alice está de volta porque seu pai está morrendo. Ela só pode dar-lhe um último adeus. Alice e Daniel parecem não ter nada em comum, exceto o amor pelas estrelas, cores e mirtilos. Mas, acima de tudo, o hábito de fazer listas de dez coisas que os tornam tristes ou felizes. O amor está em todas as partes desta história. Suas consequências também. Sejam boas ou más. Até que ponto uma mentira pode ser melhor do que a verdade?

divisão

Vamos falar um pouquinho do que eu achei  sobre as vinte primeiras páginas de Dez coisas que aprendi sobre o amor.

Bem, o livro é em um formato que eu gosto bastante (tanto é que usei em Bodas de Cristal): o enfoque em mais de um personagem. Os capítulos são alternados entre um homem e uma mulher e todos eles começam com uma lista de dez coisas. Nós começamos o livro sem saber absolutamente nada. E eu continuei sem saber nada, porque a degustação é apenas uma degustação. Ou seja: ela faz você ficar com vontade de ler o restante e entender.

A estrutura dele me lembrou Neve na primavera. Faz com que eu pense em um livro que vai esconder o mistérios e vai nos revelar ele aos poucos até o grande final onde teremos um enfarto com a notícia bombástica. Isso me deixa instigada, porque promete um livro que vai nos fazer querer virar a próxima página desesperadamente. Vai nos fazer anotar pistas e tentar adivinhas o que afinal está acontecendo.

Qual o grande segredo do livro?

Na intercalação somos abruptamente jogados na vida de Alice (como eu amo esse nome) e passamos a conhecer ela muito bem, mesmo com poucas páginas. Ela é a filha mais nova, mas por alguma razão ela não foi quem recebeu todos os mimos e paparicos, pelo contrário, parece que ela foi a responsável pela tragédia da família. Por alguma razão, tudo mudou quando ela nasceu e tudo mudou mais ainda quando a mãe dela morreu, dando a entender que a culpa foi dela. Ou seja, Alice é a ovelha negra. E por isso, ela acaba se sentindo mais feliz e livre fora de casa, viajando pelo mundo e conhecendo novas pessoas e novos lugares. Ela está muito bem fazendo isso, quando descobre que seu pai está doente e ela precisa voltar.

É um pouco curiosa a relação de Alice e o pai. Apesar de termos a impressão que ela é a ovelha negra da família e que foi afastada por todos, percebemos que o pai dela ama muito ela e tem medo que ela não saiba disso. É como se o afastamento viesse das irmãs dela, mas ninguém sabe explicar o porquê. É algo inconsciente que parece ter surgido de uma experiência ruim do passado. E perceber isso faz com que fiquemos curiosos para saber o que aconteceu de fato.

Temos também o homem. Não sabemos o nome dele. E não sabemos o nome da mulher de quem ele sente tanta falta. No início pensei que poderia ser o pai dela mais novo ou antes de ficar doente e depois percebi que não era. Quando percebi isso, minha curiosidade se acendeu. Quero saber quem é ele e por que ele está no livro. Qual seu papel.

Bem, eu fiquei curiosa e achei bem legal a coisa toda das listas. E foi pensando em como as listas são legais que a Novo Conceitos propôs que nós fizéssemos uma lista com as 10 coisas que nós sabemos sobre o amor. Vou fazer a minha, mas já vou avisando que sou incrivelmente péssima nessas coisas de lista. Vamos lá:

1 – Sem um futuro, o amor é apenas doloroso.

2 – Ele tem o poder de ser a melhor e a pior coisa que já lhe aconteceu.

3 – Você não tem controle nenhum sobre ele.

4 – É a única coisa que lhe faz desejar ser melhor.

5 – É o tipo de coisa para o qual não existe regra.

6 – Amar alguém não é transformar duas pessoas em uma. Amar alguém é conciliar duas vidas com o único propósito de ser feliz.

7 – Você vai partir seu coração mais vezes do que será capaz de contar, até sentir que encontrou alguém que nunca irá parti-lo.

8 – As pessoas que amamos também são humanas e erram, mas alguns erros são maiores que o amor.

9 –  Amar a si mesmo é a coisa mais preciosa que existe. Não podemos amar outra pessoa se não amarmos o reflexo que vemos no espelho.

10 – Amar não é se perder. Se você não sabe quem é, não poderá amar alguém de todo o seu coração.

É isso, amados. O que acharam do livro? Que tal fazerem as suas listinhas de 10 coisas que sabem sobre o amor?

Beijos!

Laury

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *