Divulgação

70 anos da morte de Mário de Andrade | Romance inédito: Café

Divulgação

Café, livro inédito de Mário de Andrade, será lançado na FLIP 2015

Narrativa comovente reforça atemporalidade do autor

café

No ano de aniversário dos setenta anos da morte de Mário de Andrade, a Editora Nova Fronteira celebrará o legado do escritor com o lançamento do inédito Café. Descrito pelo próprio Mário como “um romance de páginas cheias de psicologia e intensa vida”, o livro será apresentado ao público na 13a edição da Festa Literária de Paraty (FLIP). O evento, que acontecerá entre 1o e 5 de julho, homenageará o poeta, romancista, contista, crítico literário, musicólogo, folclorista e ensaísta brasileiro nesta edição de 2015.

Os livros de Mário de Andrade, publicados pela Nova Fronteira, contam com a participação de especialistas no autor – professores e pesquisadores do Instituto de Estudos Brasileiros da Universidade de São Paulo (IEB-USP), no projeto coordenado pela professora Telê Ancona Lopez. Trata-se de um trabalho de pesquisa em que o texto é estabelecido a partir do confronto com os manuscritos e outros documentos relevantes do arquivo de Mário, tudo isso somado ao conhecimento desses professores a respeito da obra andradiana. O livro Café teve o texto final fixado por Tatiana Longo Figueiredo, que assina a introdução, o posfácio e a seleção de imagens do caderno final.

Representante maior do movimento modernista, Mário de Andrade ressurge nas linhas daquela que acreditava ser sua obra-prima, mas que nunca chegou a ver publicada: Café. O romance relata a comovente história de um migrante como tantos, Chico Antônio, que, a caminho de uma fazenda cafeeira, passa pela capital de São Paulo. A narrativa tem como pano de fundo a crise do café e as colônias de imigrantes na cidade. Muito bem-articulada, a trama conta com personagens vigorosos, capazes de traduzir situações humanas intensas e de ultrapassar, assim, um tempo demarcado historicamente no Brasil. Mas vai além. Estão presentes na obra características andradianas, como os traços nítidos da crítica social e política, o viés memorialista e o experimentalismo linguístico.

Em ocasião da FLIP, além de Café, a Editora Nova Fronteira publicará uma antologia de contos e crônicas, O melhor de Mário de Andrade. Voltado principalmente para os ainda não familiarizados com o autor, a coletânea cumpre um papel relevante: o de apresentar os principais textos de Mário e oferecer um panorama de sua literatura.

Por fim, também na FLIP, a Editora Nova Fronteira lançará uma edição especial de Macunaíma, o herói sem nenhum caráter, escrito originalmente pelo autor ao longo de seis dias de trabalho ininterrupto. A nova edição apresenta um caderno de fotos e documentos relativos a esse grande clássico da literatura nacional.

#MÁRIO DE ANDRADE

Mário Raul de Moraes Andrade foi um poeta, escritor, crítico literário, musicólogo, folclorista, ensaísta brasileiro. Ele foi um dos pioneiros da poesia moderna brasileira com a publicação de seu livro Paulicéia Desvairada em 1922. Mário nasceu em 9 de outubro de 1893 e faleceu em 25 de fevereiro de 1945.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *