Resenhas

[Resenha] Renascer de um Outono – Samanta Holtz

Resenha

Olá! Como vão?

Quem aqui nunca ouviu falar da nossa parceira Samanta Holtz? Ela passou a ser conhecida por mim como a assassina de corações, porque em O Pássaro ela me fez chorar como se não houvesse amanhã. Mas dessa vez, felizmente, não houve lágrimas desesperadoras. Pelo menos para mim, claro, porque algumas meninas discordam. Por quê? Porque o que fez elas chorarem, me fez comemorar. Muahahaha! 😀

Renascer de um Outono

Quem acompanha o blog há um tempo sabe como eu não aceite bem o final de O Pássaro e devo dizer que fiquei com um certo medo de todos os outros livros da Samanta por causa disso. Porque não queria chorar daquela forma e nem ameaçar a Sam de morte (de novo). Bem, como ando preguiçosa, entre Quer ser Beth Levitt e Renascer de um Outono, eu escolhi Renascer.

Só digo uma coisa: não façam como eu! As letras de Renascer são menores. haha

Mas vamos ao que interessa, o livro conta a estória de Anna, que após a morte da mãe se muda para outra cidade para tentar ganhar a vida. Ou seja, fazer a faculdade que tanto quer, viver sozinha… Ser independente. Só que as coisas não dão muito certo e ela acaba não passando no vestibular e tendo que ir trabalhar de garçonete e viver em um apartamento com donos insuportáveis.

Só que tudo pode piorar e piora. Ela é demitida e tem que procurar outro emprego. Mas o que era para ser o fim do caminho, acaba se transformando em uma janela que se abriu quando a porta foi fechada. Anna se transforma na baba de uma garotinha de sete anos, a Lauren, e conhece o tio dela (Ricardo) que é um amorzinho de pessoa e que se vira em dois para cuidar da sobrinha órfã.

Bem, o que eu tenho para dizer sobre Renascer? Não sei bem, talvez porque eu tenha esperado ficar muito surpresa e revoltada com o final, mas a verdade é que não fiquei. Sei de muita gente que ficou, mas eu torci tanto para esse final, mais tanto, que por mais que ele fosse meio triste, para mim foi super alegre.

Uma coisa que achei legal no livro é a história por trás dele, ou seja, foi o primeiro livro que a Samanta escreveu, mesmo sendo o terceiro a ser publicado. E como ela mesmo diz no início do livro: há um pouco da antiga ela e da nova. A decisão de manter o nomes dos lugares e pessoas mostra bem isso, e falo como escritora. Porque crescemos acostumadas a livros internacionais e quando vamos escrever, o natural parece ser escrever nesses moldes, por assim dizer. Nomes estrangeiros para cidades e personagens, mesmo que essas cidades realmente não existam.

O livro foi sim uma mistura da antiga Samanta (a estória em si e principalmente a Anna e suas inseguranças e incertezas) e da nova (a forma de escrita e estrutura, como tudo se encaixou no final, até aquelas coisa que quando eu lia, eu me perguntava porque elas estavam ali e pra quê).

Preciso dizer que não fui muito fã da Anna, desde o início. Ela teve meu respeito por ter a decisão de sair de casa e se virar, mas não me deixou muito feliz por estagnar quando as coisas não saíram como planejado. E ela definitivamente não ganhou o meu amor devido ao seu amor platônico (um menino com quem ela tinha estudado, achava maravilhoso, mas que nunca tinha trocado uma palavra).

Posso até considerar normal o fato de você ter um amor platônico na adolescência, mas quando ela deixava de viver o agora dela por causa disso, ela me tirava do sério. E eu não gostei do John. É isso.

O John é perfeito. É gentil, é educado, é engraçado, é romântico, tem um futuro promissor… Mas eu e ele não tivemos química. E me senti bem cruel por a cada página virada desejar que um carro viesse e matasse ele para que meu casal favorito pudesse existir. Porque sim, eu tinha um casal favorito.

E esse casal era Anna e Ricardo.

Ricardo é o tio de Lauren (ela terá um espaço especial aqui, calma). Ele é altamente divertido e brincalhão, ao mesmo tempo em que é sério e comprometido com a vida. Ele tem um passado doloroso e aceitou criar a sobrinha de braços abertos. Sabe o antigo garanhão do colégio? É ele, depois de muitos tombos. E ele escolhe tão mal… Tive vontade de enfiar a mão no livro, tirar ele pra fora e bater. E depois abraçar. E falar que ia dar tudo certo, que ele só precisava deixar de ser tão cego.

A cada palavra eu torcia para que ele e Anna ficassem juntos.

Eu amei a Lauren. Primeiro pelo nome parecido com o meu e segundo porque sim. Eu ficava bastante irritada quando Anna não conseguia entender a menina. Porque para mim era bem óbvio o que estava acontecendo. Uma coisa que me deixou bem chateada foi que com o desenrolar do livro e o fato de Anna ter “ajeitado” um pouco sua vida, Lauren foi ficando em segundo plano. E tudo que a menina queria era alguém para estar ali com ela e não virar as costas quando ela mais precisasse, que era o que todo mundo fazia. Todos iam embora e a deixavam.

Quando Anna foi passear e não assistiu à primeira aula de balé de Lauren… Meu Deus! Eu queria socar a Anna! Como ela queria ter progresso se ela não colaborava?

Mas tudo bem, eu supero. Dessa vez eu não derramei lágrimas. Enquanto as pessoas choravam, minha mente doentia comemorava, então foi tudo bem com esse livro. No entanto, se você for emocional, deixe um lencinho no canto só pra garantir.

Eu gostei do final e fiquei satisfeita, o que por si só já é um fato grandioso por se tratar da Samanta. Não precisei de meses para pelo menos aceitar o final (para dizer a verdade até hoje não superei o final de O Pássaro). Mas talvez eu tenha esperado um pouco mais dele. Na verdade, um pouco mais de Anna. Tive a impressão de que ela não quis aquilo como um desejo, mas como uma aceitação, uma resignação para a sua história. Como se aquilo fosse o certo para ela e pronto. Senti falta da paixão dela, enquanto a dele parecia transbordar das páginas.

Bem, eu recomendo o livro. E se você ficou curioso para saber quem é o ele do final, vai ter que ler para descobrir. Se você gosta de amores platônicos, reserve lencinhos, se não, aguarde risadas maléficas (como as minhas).

Personagem preferido da vez: Ric (sem sombra de dúvidas).

E aí, já leram? O que acharam?

Beijos!

Laury

7 Comments

  1. Querida Laury,

    Que resenha deliciosa de “Renascer de um Outono”!!!
    Adoroooo a forma como você escreve para falar dos personagens que gostou, que não gostou, do que superou expectativas, do que deixou a desejar… e devo dizer que ri muuuuito quando li sua descrição sobre mim! kkkkkkkkkk Que bom saber que não quis me matar de novo :O hauhauhauhuauah!

    Laury, querida… falando sério rs Muito obrigada por uma análise tão detalhada e sincera sobre Renascer! Amei o fato de você ter conseguido enxergar a Sam do passado e a Sam do presente no livro. Você tem toda a razão, os nomes de personagens e cidades são TOTALMENTE influências de leituras estrangeiras que optei por manter rs rs… embora, se fosse escrito hoje, eu jamais os usasse!

    E o Ric, fiquei muito surpresa quando li as primeiras resenhas do livro, porque eu pensava que tinha uma visão distorcida da minha própria história. Contando um segredinho aqui rs… eu sempre fui muito mais Ric do que John! Gostava do John, mas amava o Ric…. até hoje, ele é um dos meus personagens masculinos favoritos, se não for O favorito 🙂 Mas eu não tinha noção de que o público sentiria exatamente o mesmo que eu em relação a ele! De certo modo, fiquei feliz, porque ele entra na história com uma intenção e termina com outra, né! Funciona kkkkk e ajuda a conformar os corações dilacerados no final (o que não é seu caso, né, sua maléfica?? kkkkk brincadeira!)

    Achei interessante sua análise sobre como a Lauren fica em segundo plano no desenrolar da história… vou analisar isso com calma para uma futura nova edição! Obrigada por apontar isso 🙂 E, quanto aos sentimentos dos personagens no final do livro, você interpretou corretamente, realmente havia uma discrepância em relação ao que um sentia e ao que o outro sentia. Mas eu acho que isso precisava existir para tornar tudo mais real… afinal, para o lado mais fraco (tentando não soltar spoilers rs…), era necessário o passar do tempo para que a nova realidade fosse aceita, bem como os novos sentimentos!!!

    Nossa, que comentário enorme rs…
    Estou inspirada hoje 🙂 E sua resenha me deixou ainda mais! Obrigada de novo!!

    AHHHHH Laury.. não sei se você já viu, mas, em dezembro, eu lancei um conto de Natal relacionado a O Pássaro. O intuito era justamente atender ao público que ficou inconformado com o final… será que a leitura desse conto fará você me perdoar? rs…

    Está aqui (leitura gratuita): https://www.widbook.com/ebook/conto-de-natal-samanta-holtz

    Depois, me escreve pra contar se sim! kkkkkkkkk

    Beijão, querida! E SUCESSO sempre, você é ótima!

    Sam

    Reply
    1. Laury Alves Author

      Já fico toda feliz quando vejo esses comentários gigantes!! *-* *-*
      Uhuuul!!! o/ o/ Que bom que gostou!!

      Obrigadaa! Os bichinhos matam a gente do coração, então temos que descrevê-los bem. SIM! A SENHORITA É DESTRUIDORA DE CORAÇÕES!! Ainda tenho fé que vou superar o final de O Pássaro, porque até agora… Bem, até agora não foi. kkkkk Nesse não quis matar, vamos ver no próximo. kkkkk

      Imaginaaa. Amo fazer resenhas detalhadas e imensas. *-* Se eu não escrever tudo não fico satisfeita. Hahaha Eu ficava lendo e pensando “Huum, isso tem a cara da Sam novinha” ou “Isso é totalmente ela agora”. A literatura estrangeira influência a gente DEMAIS! É inevitável. Até “aprendermos”, ou melhor, desapegarmos da cultura de fora, leva um tempinho. E é MUITO legal ver essa mudança.

      Eu sabiaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!! Não tinha condição você fazer AQUELE Ric e gostar mais do John. NÃO TINHA! ~ dancinha da vitória ~
      Falta eu ler um livro seu ainda, mas até o momento, ele também é meu personagem favorito dos seus. E olha que sou apaixonada no Bernardo <3 Sim. Ele tá lá, super de boa, sendo um amigo e patrão super legal, mas então você olha pra ele e "opa, acho que o senhor poderia ser algo mais aqui". Lindo ele! <3 <3 <3 Sou maléfica meeeeeesmo!! hahahaha Meu coração tava todo inteirinho no final. Só para compensar O Pássaro.

      Não sei, talvez seja eu e minha paixão por aquela garotinha fofa que eu queria apertar a bochecha. Mas eu quis mais dela. Não sei explicar. Só achei que quando a Anna saia com o John ela esquecia da existência da Lauren (e eu queria socar ela por isso kkkkk). Isso é verdade, por mais que eu não tenha ficado nenhum pouquinho abalada, MUITA gente ficou, e a Anna também. Se o abalo dela simplesmente desaparecesse ia ficar estranho. Eu achei condizente (tipo achei o final de O Pássaro e não superei), só quis socar a Anna mesmo. Hahaha

      AMOOO comentários enormes! Pode escrever quantos quiser! Só sou enrolada para responder (desisti já de tentar mudar isso :'( ). E fico super feliz que tenha gostado da resenha e ela tenha te inspirado no comentário enorme. <3 Vou lembrar de ser super detalhista no próximo também. 😀 😀

      Oi? Conto de Natal? De O Pássaro? Como assim ninguém me contou isso? Pode deixar que vou ler sim, senhora!! Já até abri a página aqui. E vou anotar na minha cabecinha para eu fazer uma resenha dele aqui no blog. 😉 ~ curiosa ~

      Obrigadaaaa!! *O* *O* Você que é ótima!! <3 Muuuuito sucesso e muitos livros seus para eu ler!!

      Beijoooos!! :*

      Reply
  2. Ahhh!

    Laury, só uma dúvida (nem precisa publicar esse comentário se não quiser)… na resenha, você diz que a fonte de Renascer é menor que a de Beth Levitt, mas é o contrário 🙂 rs!! A fonte de Beth é bem miudinha, mas a de Renascer é maior!

    Só para o caso de você ter trocado na hora de escrever hahaha

    Beijão! <3

    Reply
    1. Laury Alves Author

      Sério? O.O Huuum… Não lembro mais. Vou até olhar quando chegar em casa kkkkk
      Eu só lembro que achei a de Renascer super pequena (minha preguiça deu até um gritinho kkkkk). Vulgo, erro na hora de escrever não foi, mas tem grandes chances de ter sido erro da minha cabecinha doida mesmo. kkkkkk Fiquei curiosa. Vou olhar.

      Beijoos! <3

      Reply
  3. Camilla Alves

    Concordo com vc em gênero, número e grau, Laury. Torcia por esse final o tempo todo… Quis sim, no meio do caminho, esganar a Samanta (falei pra ela kkkk), mas ela se safou no final hahahah… Ricardo era demais e o amor platônico e cego, impediu a Anna de enxergar ele. Na vdd, não achei que ela teve uma aceitação, e sim que renasceu o amor dela por ele, que foi ofuscado pelo reaparecimento deste amor de infância. A Anna com John é a Anna menina realizando um sonho e fantasiando um amor, A Anna com Ricardo é uma Anna que amadureceu e sabe o que quer pra vida dela. Uma Anna enxergando novos horizontes e saindo da zona de conforto. Mas, reitero, que ameeeiiii o Livro e agora vc me deixou curiosa com O Pássaro!!! Bjs

    Reply
    1. Laury Alves Author

      A gente SEMPRE que esganar a Samanta Hahahaha Já até me acostumei com isso.
      Nooossa, Ricardo era MUITO amor. <3 <3 <3
      Também tive essa impressão de que ela era mais "infantilzinha" com o John. Que na verdade foi o Ricardo que fazia ela ser adulta.
      Não leu O Pássaro? Mas menina, pode começar já! Mas compra o lencinho antes!! Hahahaha
      Beijooos!

      Reply

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *