Resenhas

[Resenha] Perdendo-me – Cora Carmack

Perdendo-me Cora

Olá! Como vão?

A resenha de hoje é de um livro já comentado no face essa semana, então aproveitem a opinião completa… 😉

Ah, nada como os livros de mulherzinha! Meu gosto bem diverso faz com que eu ame um bom policial sanguinário e ao mesmo tempo de derreta por uma romântica estória de amor, mas convenhamos, existe coisa melhor para te deixar com aquele humor do que um livro de mulherzinha bem escrito?

Perdendo-me veio parar em minhas mãos por coincidência, enquanto eu procurava um livro que eu necessito ler (Se eu ficar). Li a sinopse e achei que era uma premissa boa, li o primeiro capítulo e precisei ler o resto. Perdendo-me conta a estória de Bliss, que está quase formando e é a única da sua turma que é virgem. Ela finalmente cria coragem para contar isso a sua amiga e essa amiga decide que o problema é super fácil de resolver: elas vão sair, encontrar um cara e problema resolvido.

Bliss não concorda com toda essa simplicidade, mas sai com a amiga e quando tudo que ela quer é voltar para casa, ela acha um cara que possa merecer sua atenção, por assim dizer. Afinal, como não prestar atenção em um cara que lê no meio de um bar? Eles acabam sim saindo rumo a casa dela e tudo está indo conforme os planos da amiga dela, quando bem na hora H, Bliss muda de ideia, saí correndo e deixa Garrick nu na sua cama.

Nada que não se esqueça com o tempo, correto? Errado. Pelo menos não quando Garrick se revela ser Sr. Taylor, seu novo professor de teatro. Não quando sua melhor amiga tem certeza que você foi para a cama com ele. E muito menos quando o seu melhor amigo começa a querer ser mais do que é.

Bem, eu li o livro em dois dias e teria lido em muito menos se tivesse tido tempo. Não, não é um livro profundo, mas é um livro relaxante e divertido. Garrick e Bliss são hilários! Bliss é o desastre em pessoa, Garrick é todo o charme que se pode ter em alguém. E isso é muito charme!

Kelsey é divertida e atirada. Sabe aquela amiga ótima para te tirar de casa e respirar um ar puro? Ou o mais puro que uma boate pode oferecer. E Cade… Bem, eu não gostei dele. Talvez seja porque eu não gosto muito de bobos apaixonados que são tão apaixonados que chegam a ser ridículos. Ele ultrapassa aquela linha tênue entre amar e venerar. E não, não é bonito venerar alguém. As más línguas dizem que o segundo livro tem o Cade como protagonista e por isso não sei se me sinto animada em lê-lo, mas quem sabe…

O livro tem tudo, absolutamente tudo para ser um clichê ridículo e sem sal, mas incrivelmente não é! Tem sim o romance proibido, mas ele não se torna cansativo, pelo contrário. Todo o momento eu ficava naquela: “Será que ele realmente gosta dela?”, “Por que isso está com cheiro de que vai dar errado?”, “Ah meu Deus, isso vai dar MUITO errado!”.

O desastre que é a Bliss e o desastre que o Garrick se torna quando está com ela torna tudo mais leve e divertido e menos enfadonho. Apesar de tudo Bliss não é aquelas mocinhas clichês que se derretem durante todo o livro. Ela se derrete horrores por ele, mas não se derrete pelo mundo e vários dos dilemas sem solução dela eu consegui encarar como um dilema e não uma dúvida ridícula de uma mulher passiva com a vida.

E Garrick é o balanço perfeito de luxúria e amor, cavalheiro e cafajeste. Ele é divinamente divino e perfeito. E preciso mencionar que ele tem sotaque Europeu?

Sim, o livro tem aquela pegadinha hot (que livro hoje em dia não tem, não é?), mas ele não gira em torno de sexo, não literalmente. E isso me fez continuar sem medo de cair em um cinquenta tons de cinza da vida. O livro é equilibrado, sem apelação de mais, sem apelação de menos. A dosagem foi o que tornou o livro tão surpreendente, como se nada estivesse fora do lugar.

Uma mistura de Meg Cabot com… Bem, com alguma autora que escreve livros hot muito, muito bem. Esse livro me surpreendeu. Comecei não dando quase nada por ele, mas antes de terminar eu já estava recomendando. E termino ele recomendando. Muito bom, leve e divertido.

Selinho!

selinho awn de qualidade1

O que acharam? Já leram?

Beijos!

Laury

2 Comments

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *