Resenhas

[Resenha] O Mago de Camelot: A saga de Merlin para coroar um dragão – Marcelo Hipólito

capa

Há muito tempo eu fui fascinada pela historia do rei Arthur, adorava o Lancelot e morria de amores pela Morgana. Mas no meio disso tudo nunca dei tanta importância a Merlin. Afinal, quem se importa com um magozinho, não é?

Bem, o Marcelo nos apresentou O Mago de Camelot para provar que Merlin é muito mais que um magozinho. Como poucas vezes vi, dessa vez não foi Arthur o protagonista e sim Merlin. Nós conhecemos o mago na infância e acompanhamos ele por toda a sua vida. Nada de um senhor que na maioria das estórias aparece já com certa idade e experiência. Dessa vez aprendemos como ele consegue essa experiência.

Merlin é um pouco diferente do bom senhor que encaramos muitas vezes: bondoso e puro. Merlin é uma pessoa cinza, ele tem um objetivo e segue até consegui-lo. Muitas coisas soam cruéis e outras realmente o são, mas apesar de tudo, necessárias.

Devo dizer que tenho um certo encantamento por aquelas pessoas extraordinárias que conseguem transformar mortais comuns em reis (uma das minhas personagens históricas favorita é uma dessas pessoas) e talvez por isso eu tenha gostado tanto desse Merlin. Não tão diferente dos anteriores, mas com um aprofundamento que permitiu a mim vê-lo um pouco mais como uma pessoa. Tive pena na sua infância e me senti orgulhosa na sua fase adulta.

Meu maior estranhamento na estória toda foi Morgana. Nessa “versão” ela foi apresentada como a vilã. Foi estranho ver uma das minhas personagens favoritas como aquela que causa toda a ruína e traz a desgraça por vontade própria, como vingança. Mas apesar de tudo, meu amor e fascinação por ela não vacilaram nenhum pouco. Sim, eu sei, mas alguns vilões me encantam.

Claro que minha curiosidade mortal fez com que eu revivesse toda aquela paixão pela história do rei Arthur e fosse atrás de um pouco dos fatos, porque eu adoro comparar a ficção com a realidade. E preciso dizer que fiquei muito orgulhosa quando descobri que muitas coisas do livro realmente aconteceram. Tudo bem, que a maioria das coisas do livro realmente aconteceram, mas as partes que me chamaram a atenção foram os detalhes, como o cometa que dá ao pai de Arthur seu sobrenome.

O mago de Camelot é uma leitura rápida e fluída. Fui obrigada a levar dois dias de leitura porque toda hora alguém me interrompia e pedia algo, mas é um livro de uma sentada só. Um pouco de história e um pouco de literatura juntos para compor uma boa diversão. Não tanto uma nova versão, mas mais uma nova perspectiva, como em um filme que mudamos a câmera de foco e mostramos um pouco mais o coadjuvante. E Merlin foi um coadjuvante lindo.

Recomendo principalmente para aqueles apaixonados em história como eu. <3

O que acharam? Já leram?

Esse é um dos livros resultado do Mochila Literária. Espero ter tempo para ler os outros o mais rápido possível e trazer mais gostinho nacional para as resenhas aqui do blog. 😀

Beijos!

Laury.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *