Resenhas

[Resenha] As Árvores Sagradas de Nod – Cristina Aguiar

nod

Há algum tempo eu li a Profecia de Hedhen, que deu inicio a toda a série, e acreditei que havia chorado tudo que eu era capaz de chorar, mas eu me enganei.

Deborah, Jael, Barak e Héber! Céus, como me encantei por esses quatro no primeiro livro, o quanto eu torci, sofri, pulei. Meu coração angustiado em busca de um final feliz. Os Tronos de Luz é uma fantasia simplesmente linda, porque em meio a guerra, a luta do bem contra o mal, há sempre o amor. E ah, esse amor me derrete! E isso não foi diferente em As Árvores Sagradas de Nod.

Após lutarem e se sacrificarem pela profecia, Deborah e Jael se vem mais uma vez de frente a um sacrifício, mas dessa vez não é a vida delas que está em jogo e sim a de seus filhos. Com a marca de folhas de oliveira, Eva e Davi nascem com um dia de diferença, a dúvida circundando suas vidas.

Os luminares já não tiveram que se sacrificar de mais?

Uma nova terra, uma nova profecia, o mal em uma face já conhecida, mas subestimada. Seriam os Tronos capazes de manter a paz?

Bem, o livro é dividido em duas partes (talvez sejam lançados em dois volumes) e em cada uma delas nos deparamos com cenários diferentes.

Após tanta luta, Hedhen finalmente encontra paz e os Tronos reinam. A primeira parte é nostálgica (pelo menos para mim foi), é relembrar cada personagem, sua história e suas dores. (Noa <3) É nela que os novos medos de Hedhen nos atingem e acabam com qualquer possibilidade do livro se tornar monótono.

Mas nada, simplesmente nada, se compara com a última parte. No primeiro livro uma idéia perambulou por minha cabeça, mas nesse livro essa idéia se solidificou. A Cristina é cruel! Ela não tem a mínima dó de nós leitores e nossos corações.

O amor se fez presente como sempre das formas mais belas, mais puras e mais perfeitas do mundo! Um dos poucos livros que eu chorei de felicidade! Dá cena ser tão sublime ao ponto de lágrimas brotarem, mas não foram só por isso que elas surgiram. Não! Chorei de aflição, desespero, medo, tristeza… Chorei por tanta coisa!

Gigantes, amazonas, sacerdotes, magos, feiticeiros… Toda a magia misturada a um mundo tão humano quanto o nosso, onde pessoas se amam, morrem, lutam e enfrentam problemas como todos nós. Foi lindo ver Deborah como rainha com Barak ao seu lado, foi simplesmente magnífico ver Jael com Héber, e muito perfeito ver Noa com Sangar. E céus, esses homens são excepcionais!

O livro me deixou aflita e nas ultimas páginas eu simplesmente não consegui largar, da mesma forma que também não tinha condições de continuar. Eu lutava contra as lágrimas enquanto via tudo ruir de uma forma chocante, como pequenas peças de dominó. Fui arrastada para a estória em um grau fora do comum. E quando li “epílogo”, senti que uma pequena parte de mim estava sendo arrancada. E literalmente foi!

Acho que se eu pudesse resumir o livro em uma palavra seria sublime. Poderia ser épico, mas acho que isso seria limitado de mais. Quando eu penso em algo épico, me imagino dizendo “Que foda!”, você arrepia, mas não chora. E eu fiz os dois. Chorei e arrepiei cada fio de cabelo quanto mais me aproximava do final. E após ler a palavra “fim” insisti em tentar passar a página.

O livro é completo em cada pedacinho, cheio de surpresas, dores e amores, mas nada se compara ao vazio que é terminar de lê-lo, o desejo louco pela continuação. EU PRECISO DO PRÓXIMO! Isso é tudo que tenho a dizer.

SELINHO PRA ELE!!

selinho awn de qualidade1

O livro ainda não foi publicado na forma física, mas já pode ser adquirido na Amazon. Compre ele aqui! E se você ainda não leu o primeiro, também pode comprá-lo aqui.

O que acharam?

Beijos!

Laury.

0 Comments

    1. Laury A Author

      Oie!!
      Fico feliz que tenho vindo conhecer! 😀
      Os livros são ótimos, muito bem escritos. E a série não é tão grande, são 4 livros, seguindo a margem de um por ano, sem muita espera. Super recomendo! 🙂

      Beijoos!

      Reply

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *