Resenhas

[Resenha] Ponto Cego – Felipe Colbert

Ponto Cego

Pensa em um livro que ficou parado na estante? Uma das minhas aquisições da Bienal, Ponto Cego estava a espera do meu humor certo. E fico feliz do meu humor ter chegado, porque o livro definitivamente me surpreendeu.

Vou confessar que quando li a sinopse, não entendi nada de nada sobre como seria o livro, mas ainda assim achei interessante, e como estava com o intuito de comprar a maioria de livros nacionais, incluiu ele na compra.

O livro nos leva a Veneza, seu carnevale, suas belezas e suas mortes. O livro é formado por vários núcleos que no final se encontram e vira um só, em uma mesma trama. De um lado temos Daniel, que perdeu a esposa e também o rumo. De outro temos Giuseppe Pacino e seu problema com bebidas, que para manter seu emprego tem que resolver o desaparecimento de uma jovem.

Tudo bem simples, até que mais jovens desaparecem, corpos surgem, ex-mulheres reaparecem, o mundo gira de cabeça para baixo e coisas inusitadas começam a aparecer.

Ponto Cego é definitivamente um ponto cego, que faz você ficar sem sentidos enquanto quebra a cabeça tentando entender o que está acontecendo e não chega a lugar algum. É louco, surreal, diferente, é inusitado.

Se eu for falar de cada misero personagem e o que achei dele, não sairemos daqui hoje, mas posso dizer que todos foram muito bem construídos, com todas as suas próprias complexidades. Cada ação e cada decisão deles, faz você refletir sobre a natureza humana e até onde somos capazes de ir. Seja amor, ganância, medo, dor, prazer, por tudo. O quão imprevisíveis nós somos.

O livro nos leva ainda a vários pontos turísticos de Veneza, nos ensina algumas palavrinhas do idioma e nos mostra o quão sórdida pode ser não só a mente de um assassino, como a mente humana. Se não houvesse aquela gotinha de sentimentos, até onde seriamos capazes de ir?

Um romance policial que merece respeito, que junta todas as pontas e mostra todas as nuances (olha eu falando difícil kkk) da coisa.

O final, OMFG! Foi belo, belo, belíssimo. Fiquei abismada, para não dizer passada! Minha cara foi lá no chão. Muito bom! Recomendo do início ao fim. E além de tudo, é uma leitura rápida e leve, apesar de densa (vai entender).

Beijos!

Laury.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *