Resenhas

[Resenha] Reformed Vampire – Grupo de Apoio ao Vampiro – Catherine Jinks

Reformed Vampire - Catherine Jinks

Esse é um livro que sem sombra de dúvidas merece atenção! Eu tinha visto ele há algum tempo e achado a capa interessante (Sim, eu ainda me deixo levar pela capa), mas o preço não tão interessante assim. Guardei ele mentalmente na minha lista de necessidades e fui atingida pela noticia de ele estar de promoção na FNAC. Menos de R$10, é obvio que comprei.

Vou confessar que não me senti mentalmente estimulada a começar ele, ainda mais pela quantidade de páginas (ando em uma fase que estou com muito pouco tempo e quero começar um livro bom, que vale a pena o tempo e dê para começar e terminar sem muitas delongas), mas lá fui eu.

O livro traz uma proposta inovadora e muito divertida. Sai da mesmice de vampiros que tivemos nos últimos tempos e nos traz uma realidade totalmente diferente. E se os vampiros não fossem humanos com super poderes e apenas algumas limitações? E se os vampiros fossem na verdade doentes, fracos e precisassem de um grupo de apoio para passar bem por essa “fase”?

Nina é uma vampira eternizada nos seus 15 anos, que ainda vive com a mãe, todas as terças a noite vai a igreja para o grupo de apoio ao vampiro, se alimenta de porquinhos da índia e a coisa mais interessante de sua vida é escrever sobre Zadia Bloodstone. Triste não? Agora acrescente o fato de ela estar doente a maior parte do tempo. A vida dos vampiros é bem chata, parada e tediosa, isso até o momento que um dos integrantes do grupo morre e eles são obrigados a lidar com a idéia de que talvez haja um caçador de vampiros louco para matá-los. Eles são obrigados a fazer o que não estão acostumados, ou seja, agir.

O livro definitivamente me impressionou, no inicio achei que não seria grande coisa, mas no final eu não conseguia largar. Ele começou calmo para ir se tornando um caos completo e repleto de confusão, com momentos de tirar o fôlego. Além de tudo, o livro mostra também o crescimento dos personagens e como eles mudam, e eu simplesmente adoro livros nos quais os personagens evoluem. Personagens lineares são tão previsíveis e chatos!

O padre Ramon me lembra o padre Dom de A Mediadora e isso fez com que eu tivesse um amor maior por ele. A mãe de Nina simplesmente é uma personagem e tanto, ela é tão, mas tão forte, minha eterna admiração a ela. O Grupo de Apoio ao Vampiro é repleto de peças raras, mas Dave é meu amor eterno favorito, o resto não merece uma atenção maior, pelo menos é o que eu acho.

Mas sério, o livro é surpreendente. Conseguiu falar de vampiros da forma mais inovadora possível. Passei o livro todo esperando pelo clichê, pelo momento em que a autora me decepcionaria com idéias repetidas e cansativas, mas isso não aconteceu! E pasmem, não teve triangulo amoroso! Isso mesmo, com o mundo literário repleto de triângulos amorosos e “quem eu devo amar?”, consegui achar um livro sem essas frescuras todas.

E no final, quando você lê a ultima palavrinha, você fica com aquela pergunta idiota na cabeça, que parece bem real depois de você ler um livro realista sobre esse assunto: “Será que vampiros existem?”. Sim gente, eu me fiz essa pergunta, permiti a mim mesma pensar isso. Kkkkk E vou te contar, no final do livro descobrir que ele é um diário não ajudou. Ajudou menos ainda o fato da vampira principal ser escritora, usar pseudônimos para escrever e o livro não ter uma única foto da escritora.

 Sabe qual o resultado de tudo isso? Fui para o Google tentar achar uma foto da escritora rezando para que ela não fosse uma menina de 15 anos, pálida e com cara de doente. Graças a deus ela não era. Kkkkkk Lhes apresento Catherine Jinks:

Catherine Jinks

E o livro já tem uma continuação: “Abused werewolf – Grupo de resgate ao lobisomem”.

Então, o que acharam? Já leram o livro? E os vampiros gente, existem ou não? Kkkkk

Beijos!

Laury

0 Comments

  1. victorpaladine

    Muito interessante..
    Jah vi um filme com esse tema..
    Me escapou da memoria o nome dele..
    Mas esse não é o unico com essa abordagem.. porem geralmente são muito fracos em matéria de produção. . No ciculo de filmes independentes não falta isso.. kkk
    acho q irei ler..
    Mas ultimamente ando meio obcecado com livros de tema fantasia/medieval.. guerras travadas com aço e uma pitada de magia..
    Canção de Sangue.. trilogia A mão esquerda de Deus.. trilogia a primeira lei..

    Reply

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *