Achados da internet

Achados da internet: A elegância do ouriço

Olá queridos! Como vão?

Atualmente um tempinho anda raro, mas nas raras vezes que acho um e não estou lendo, vendo série ou filme ou qualquer coisa do tipo, eu como qualquer mortal (quem sabe até os imortais rsrs) da atualidade dou minhas voltinhas pela internet, procurando não sei o que. Mas acontece que algumas vezes achamos esse não sei o que, não é? Pois bem, pensando nesse não sei o que, vou criar o “Achados da internet” aqui, assim, quando eu achar algo que vale a pena, eu compartilho com vocês. 🙂

O meu primeiro achado foi o livro A ELEGÂNCIA DO OURIÇO.

Estava vendo trechos de livros quando me deparei com um trecho muito legal, aí fui ver o nome do livro e procurar sobre ele, está aqui o que eu achei:

Várias capas:

   

Achei outras também, mas gostei mais dessas. A minha preferida foi a primeira.

A Sinopse:

À primeira vista, não se nota grande movimento no número 7 da Rue de Grenelle: o endereço é chique, e os moradores são gente rica e tradicional. Para ingressar no prédio e poder conhecer seus personagens, com suas manias e segredos, será preciso infiltrar um agente ou uma agente ou – por que não? – duas agentes. É justamente o que faz Muriel Barbery em A elegância do ouriço, seu segundo romance.
Para começar, dando voz a Renée, que parece ser a zeladora por excelência: baixota, ranzinza e sempre pronta a bater a porta na cara de alguém. Na verdade, uma observadora refinada, ora terna, ora ácida, e um personagem complexo, que apaga as pegadas para que ninguém adivinhe o que guarda na toca: um amor extremado às letras e às artes, sem as nódoas de classe e de esnobismo que mancham o perfil dos seus muitos patrões.
E ainda há Paloma, a caçula da família Josse. O pai é um figurão da política, a mãe dondoca tem doutorado em letras, a irmã mais velha jura que é filósofa, mas Paloma conhece bem demais o verso e o reverso da vida familiar para engolir a história oficial. Tanto que se impõe um desafio terrível: ou descobre algum sentido para a vida, ou comete suicídio (seguido de incêndio) no seu aniversário de treze anos. Enquanto a data não chega, mantém duas séries de anotações pessoais e filosóficas: osPensamentos profundos e o Diário do movimento do mundo, crônicas de suas experiências íntimas e também da vida no prédio.
As vozes da garota e da zeladora, primeiro paralelas, depois entrelaçadas, vão desenhando uma espiral em que se misturam argumentos filosóficos, instantes de revelação estética, birras de classe e maldades adolescentes, poemas orientais e filmes blockbuster. As duas filósofas, Renée e Paloma, estão inteiramente entregues a esse ímpeto satírico e devastador, quando chega de mudança o bem-humorado Kakuro Ozu, senhor japonês com nome de cineasta que, sem alarde, saberá salvá-las tanto da mediocridade geral como dos próprios espinhos.

A sinopse é meio gigante, mas bem interessante. Choquei muito na parte da menina de 13 anos, muito mesmo! Mas tirando a parte do suicídio, achei interessante o fato dela querer achar o sentido da vida. Boa sorte pra ela! kkkkk

A autora é essa da capa (obvio!) e ela é francesa.

Confiram ele no skoob!

Achei o livro meio caro, uma média de R$45,00, mas parece valer a pena. Para quem não está com vontade de desembolsar tudo isso, pode optar pelo filme que é mais em conta, afinal uma locação não deve passar de R$5,00 e sempre existe a boa e velha internet, não?

Só consegui achar esse trailer. Falam francês e é legendado em espanhol. Não entendi quase nada, fiquei igual criança, gostei das figuras. rsrs Quem entende uma dessas línguas  sejam felizes, quem não entende faz como eu, olha as figuras. 🙂

Bem, esse foi meu achado da internet da semana. Você já teve algum achado assim?

 

Beijos!!

Laury.

0 Comments

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *