Resenhas

[Resenha] Carnaval – Luiza Trigo

E o livro da Bienal sorteado como primeiro a ser resenhado aqui no blog é… CARNAVAL da fofa da Luiza Trigo!

carnaval

Eu terminei o livro chorando. É isso!

Sério, sou emocional de mais com livros, sem noção. E olha que eu estava indo até bem com Carnaval, só quis matar a Gabi algumas vezes, nada de mais, mas quando li a ultima página e fechei o livro, cara, meus olhinhos encheram de lágrimas. Rsrs

Querem conhecer a estória da Gabi? Vou contar para vocês. A Gabi é uma menina do Rio que decide ir para Recife no carnaval. Na sinopse fala que foi para esquecer o namorado, mas na minha opinião não existia nada para esquecer do namorado. Ela não gostava dele nem nada, e segundo ela mesma disse, sua única utilidade foi tirar a virgindade dela. (vejam o amor dos dois rsrs) Pois bem, para mim ela foi rever as primas e amigas e aproveitar o carnaval, porque carnaval é carnaval, né gente?

No iniciozinho me identifiquei com a Gabi e sua queda por livrarias e papelarias, se pudesse passava o dia inteiro dentro delas. Mas não foi só isso na Gabi que pareceu comigo não, as loucuras dela também. Não no sentido de o que ela faz (não!), mas como pensa, duas vozes brigando e você querendo matar as duas. Sou louca como ela, normal. Ela viaja em cada pensamento! Às vezes chega a ser pior que eu, e olha que é difícil viu. Hehe

Uma leve pausa na resenha: achei as sombrinhas de frevo no inicio de cada capítulo um mimo!

Voltando. Como todos sabem, nada melhor que a sensação de ir para um lugar que não conhece muitas pessoas e poder ser quem quiser, não? A Gabi sabe disso, e como sabe! Bem, ela vai para lá rever as primas, fofocar e claro, vai conhecer garotos. Quando um menino que está ficando com a prima dela descobre que ela faz faculdade de artes, ele fala que o Felipe será perfeito para ela, por isso ela espera pelo Felipe, mas o Felipe já está acompanhado. Sonhos vão pelo brejo! E ela não querendo ficar sozinha, fica com outro, mas sem deixar de querer o Felipe. Ai já imaginou a confusão, né?

Uma leve dica para quem vai ler Carnaval: só leia quando estiver de barriga cheia e bem alimentada, porque a Luiza passa cada vontade na gente, babei boa parte do livro.

Bem, o objetivo da Gabi é o Fernando e aproveitar o carnaval. E para isso muita coisa acontece, principalmente confusão. E bota confusão nisso. A Gabi é voada gente, às vezes dá dó, mas é impossível não gostar dela. É comum, louca e boba como todo mundo é, no lado bom da coisa, claro! Outra coisa que gostei muito do livro é que ele tem cultura. Fala de músicas, livros e pinturas (um pouco como no ultimo livro que li, e como amo essas coisas, não pude deixar de comentar), ou seja, vai dar um pouco de cultura aos aculturados. Rsrs

Mas concentremos nos rapazes (não podemos esquecê-los, não?). O Felipe é o foco e também a perfeição, ok, teve alguns momentos que não achei ele nada perfeito, mas os bons momentos meio que superaram. Ele é um rapaz culto gente! Comemora, dá estrelinha no ar, grita bem alto, porque isso não é fácil de achar. Desejei a estante dele o livro inteiro. E te falar, já começou a me conquistar na estante, mas quando começou a fazer citação de livro, queridos, morri! Simples assim, quero um! Quem vai me dar de presente? Com a estante junto, ok? Não pode presente pelas metades. Rum!

Outra fofura é o Mateus. O melhor amigo que sempre fica de lado. Típico. (Que dó!) Mas fofo de mais, meu segundo desejo. Rsrs Os demais chamaram a atenção, mas não o suficiente para escrever sobre eles.

Meu terceiro adendo: a primeira real conversa que a Gabi teve com o Felipe foi minha conversa dos sonhos, cultura do inicio ao fim. Olhinhos até brilharam. *.*

O que não gostei. Vejamos, da mãe do Felipe. Achei ela bem fria, fria até de mais. É, foi só, o restante gostei bastante. O livro é divertido, engraçado e muito bom para passar o tempo. Houve partes deprê, o que é normal, e eu terminei o livro chorando, o que às vezes é normal (rsrs), mas nada disso tira a diversão do livro. Vale à pena. Só faça um valor a todos, não vá ler o livro achando que é uma coisa super adulta, quase para terceira idade, é um livro YA e deve ser lido como tal, ok? Ler livro que não é feito para você é certeza de resenha negativa.

Então gente, livro fofo, autora fofa. Recomendo! E desculpa pela bagunça da resenha, ok? Espero que esteja entendível, porque essa resenha não teve seqüência alguma, nem temporal, nem lógica. Eu tentei fazer uma seqüência, mas não consegui, sorry people. E não, não sei se terá continuação, quem sabe vocês descubram semana que vem. Como? Segredo! 🙂

P.S.: O próximo livro que vou ler é de BT, mas depois volto aos de Bienal, ok?

Beijos,

Laury.

0 Comments

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *