Resenhas

[Resenha] Quando cai o raio – Série Desaparecidos – Meg Cabot

 

Não sei se já comentei, mas tenho o objetivo de ler todos os livros da Meg Cabot e pseudônimos antes de morrer, então não me crucifiquem por ver muita resenha dela por aqui, ok? 🙂 Vou sempre tentar variar com outros autores, prometo. Mas vamos lá!

Quando terminei de ler esse livro, pensei: “Será que tem como sua escritora predileta subir ainda mais no seu conceito?’ Bem, a Meg Cabot sempre consegue subir no meu.

Primeiro de tudo, tenho que dizer que adorei a Jess. Adoro mulher durona. E claro, me apaixonei pelo Rob. (Aiai) Ok, passado meu momento, falemos do livro.

“Quando cai o raio” conta a história de uma garota (Jess) que após ser atingida por um raio, consegue dizer onde as crianças da caixa de leite estão (nos EUA é onde colocam fotos de crianças desaparecidas). No início Jess não sabe bem o que fazer, então depois de confirmar que o que sabe é real, faz algumas ligações inocentes para o disque denuncia.

Até ai tudo bem, ela ajuda as pessoas e a vida continua, só que, eles rastreiam a ligação, acham ela e sua vida vira um inferno. E digamos que a vida dela já não era das mais normais. Então é a partir daí que entre os problemas da escola, poderes novos, culpa, repórteres, problemas familiares, o “amor” de dois caras e mais meio mundo de coisas, ela tenta fazer o que acha certo.

O livro além de divertido (chorei de rir ao ponto das pessoas me olharem e pensarem que eu era louca), também aborda vários assuntos interessantes como o quanto problemas psiquiátricos não são moleza, como a justiça nem sempre é justa, o quanto violência doméstica é uma coisa real que muitos decidem ignorar, e como o governo não é tão bonzinho quanto aparenta.

Acho que já compreenderam que gostei do livro, não é? Então podemos falar dos personagens. Como já disse, a Jess é durona e me lembrou a Susannah (de A Mediadora) e a Rose (de Academia de Vampiros). Parte pra porrada sem pensar duas vezes ou se importar com o tamanho da outra pessoa, não leva desaforo para casa, tem certos problemas para controlar os pensamentos maliciosos a respeito do cara que está gostando e se mete em MUITA confusão. Desculpe as pessoas certas, mas ela é meu exemplo de pessoa. hehe

Agora falemos do meu amor (podemos sonhar, ok?): Rob. Sabe o badboy, todo errado, com uma moto mara e um tanquinho de tirar qualquer garota de si? Ele mesmo! Tem como não apaixonar? Ainda mais se você não pode ficar com ele? Gostei dele no inicio e fui gostando cada vez mais durante o livro. Uiui.

Ok, voltei ao normal. Outros personagens que gostei, mas não vou falar a respeito é o Sr Goodhart, Douglas e a agente Smith.

O livro é contado pela Jess, que está fazendo um relato do ocorrido e quando se termina de ler o relato, você acredita que é um livro só, porque ao contrário de alguma séries, ele conta uma história do inicio ao fim e não te deixa frustrada pelo próximo, ainda que te dê vontade de ler, entende? E a ultima “nota” deixa bem claro que vai ter um próximo.

É isso, como disse, gostei muito do livro e recomendo, principalmente para os fãs da Meg Cabot como eu. A continuação se chama “Codinome Cassandra” e já foi lançado pela Editora Galera Record. A série tem 5 livros e ;por enquanto não sei quando sairão os próximos.

E aí, gostaram da resenha? Vocês também tem um quedinha (ou quedona) por badboys como eu? Curtem garotas mais duronas (caso você seja menino)?

Beijos,

Laury

0 Comments

  1. Tenho esse livro desde que foi lançado, mas nunca peguei pra ler, achei a capa tão… feinha comparada as outras da Meg. Vou tomar vergonha na cara e ler de uma vez! rs

    beijão
    desigusson.wordpress.com

    Reply

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *