Página Inicial

Um ano sem Harry Potter

Ontem foi 15/07 e para quem não sabe/ não lembra, faz um ano desde que estreou o último Harry Potter. Eu sei que não vou mentir ao dizer que há um ano uma tradição acabou. Afinal, era sim uma tradição esperar pelo novo filme, comprar os ingressos de pré-estreia e se emocionar quando meia noite aparecia aquela logo que todos nós conhecíamos.

Há um ano eu estava respeitando essa tradição. Fiquei cinco horas na fila, conheci pessoas, fiz até tatuagem (provisória, claro) e quando finalmente entrei na sala, eu não acreditei. Estava acabando. Sem mais filmes. Sem mais pré-estreias. Sem a musiquinha no início… Senti vontade de chorar o filme inteiro, consegui segurar por um tempo, mas depois… Eu chorei. Era a minha infância acabando. Cresci com Harry Potter e ele estava acabando.

Já criticaram falando que éramos a geração Harry Potter, mas é isso que somos. Podem falar o que quiserem, em tom de critica ou não, Harry Potter mudou a vida de muita gente. Fez muitos começarem a ler. Fez muitos se apaixonarem pela leitura. J. K. Rowling conseguiu criar um mundo mágico que mesmo depois de anos, ainda nos deixa loucos. Quem ainda não espera sua carta? Eu sei que eu quero a minha! hehe

Ela não escreveu apenas um livro, ela revolucionou. Se alguma editora hoje respeita os jovens no quesito livro, a “culpa” é dela. Foi ela quem mostrou que éramos sim capazes de ler, éramos sim capazes de entender os livros, e que acima de tudo, nós merecíamos ter livros bons para ler. J. K. Rowling nos abriu essa porta. E sei que serei eternamente grata a ela por isso. A nossa geração será eternamente grata a ela.

Então, se alguém ousa nos chamar de loucos, sem noção e vários outros derivados, por mesmo depois de um ano ainda nos lembrarmos, ainda nos emocionarmos por apenas um livro, essa pessoa deve ser ignorada, porque ela não sabe o que fala. Não sabe o que é Harry Potter. Não sabe o que a série significou para cada um dos fãs. Não sabe o papel que HP teve sobre todos os outros livros que o seguiram. Não sabe o que é respeito. Não sabe o valor de um livro.

Um anos. Dois anos. Uma vida. Não importa. Quem teve a sorte e o prazer de uma vez conhecer Hogwarts, nunca deixará ela se perder. Porque ela sempre vai estar lá, esperando por nós.

É isso, um post especial para os apaixonados pelo mundo mágico de Hogwarts, como eu.

Beijos,

Laury.

0 Comments

  1. Eu achei que já tinha chorado o suficiente ontem… acho que não. T_T’
    Belas palavras! Joanne não só criou esse mundo pra gente, como abriu as portas para conhecermos outros livros. Quantas pessoas não criaram o hábito de leitura depois de enfrentar A Ordem da Fênix? E as editoras que acordaram para um público que não tinha suas necessidades atendidas?
    Só gostaria de dizer: obrigada.
    Always.

    Reply
    1. Laury A Author

      Eu até que não tinha chorado ontem, mas quando fui fazer o post, pegar as imagens, foi inevitável, chorei horrores.
      E realmente, A Ordem da Fênix foi um desafio. Eu, um baby lendo aquelas 702 páginas foi lindo. Foi complicado, mas foi bom, depois dele nenhum outro foi tão desafiante, ele fez a leitura parte da nossa vida, porque depois de tantas páginas, não se render a esse mundo, é impossível. Joanne merece nosso agradecimento eterno. E sempre que eu escutar Always vou lembrar do Snap, vou lembrar de Harry Potter. 🙂

      Reply

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *